“Movimento para baixar os impostos dos videogames”, essa é a idéia mais comum que se tem do projeto Jogo Justo, mas na verdade vai além disso. Há toda uma combinação de fatores visando melhorar a vida dos amantes de games no Brasil.

Para começar, o volume gigante de impostos sobre os produtos estrangeiros segue uma lógica antiga que não faz mais sentido na prática. O protecionismo, medida econômica que visa proteger o produto fabricado no país da concorrência estrangeira.

Mas no Brasil não tem uma produção nacional expressiva de games /eai?

Outra séria questão é a pirataria. Vamos combinar, não é todo o mundo que vai desembolsar mais de 100, 200, 300  reais por cada jogo que  quiser comprar.

Agora, e se os jogos originais fossem mais baratos e coubessem melhor no bolso dos gamers. Você não aposta que venda deles ia aumentar e a dos piratas diminuir?
Os idealizadores do Jogo Justo também, e assim, o combate a pirataria entra no meio da proposta.

Mas não pára por aí. Com um mercado consumidor de games forte no Brasil poderia haver um estímulo para as grandes empresas montarem filiais aqui.
Quem aí não ficaria empolgado se tivesse uma filial da Square Enix ou da Nintendo aqui no Brasil? Além de estimular ainda mais o mercado, iria gerar empregos para toda a galera que deseja trabalhar nessa área.

E olha que, mesmo com os altos impostos, temos algumas de empresas que trabalham nesse ramo aqui.
Um exemplo era a Ubisoft.

Era por que a empresa fechou seus estúdios de produção no nosso país e ficou apenas com escritórios para marketing e divulgação. Adivinha por que?

E  ainda dá para pensar além da perspectiva da vinda das gigantes internacionais. Por que não a criação de empresas brasileiras que produzam games? Com consumidores presentes e ativos isso seria mais viável. E novamente a gente têm aquele ciclo virtuoso. Geração de empregos e aquecimento do mercado.

Mas para isso, é preciso que nossa sociedade compreenda o que Moacyr Alves, responsável pelo projeto e apaixonado por videogames, repetia efusivamente em sua palestra sobre o assunto na Campus Party

“Jogo é… CULTURA!”



Jogo Justo e Imposto Justo

O movimento Jogo Justo não foi o única a tentar reduzir a carga tributárias dos jogos.
Outra tentativa foi um Projeto Lei (PL-300/2007) criado em 2007 pelo ex-deputado Carlito Merss – PT/SC que propunha a inclusão dos jogos eletrônicos na já existente Lei de Informática (nº 8.248) de 23 de outubro de 1991. Essa lei determina que, programas de computadores, máquinas, equipamentos e dispositivos de tratamento da informação produzidos no Brasil tenham benefícios fiscais desde que obedeçam o chamado Processo Produtivo Básico (PPB) um conjunto mínimo de etapas que uma fábrica precisa cumprir para fazer um produto.
Mas, com as burocracias e vai-e-vens da máquina política, o projeto ficou esquecido.

Já o Jogo Justo teve início em Julho do ano passado e foi criado dentro de uma comunidade independe de ordem política, empresarial e da geração de lucros, apesar de ter atualmente o apoio do deputado federal Luiz Carlos Ghiorzzi Busato (PTB – RS)

A idéia de fazer um projeto de Lei foi abandonada por causa do tempo que leva para ser aprovado, então agirão de outro modo. Através de um relatório, baseado em informações comerciais de desenvolvedores e lojistas, pretende-se mostrar para a Receita Federal o potencial do mercado de games e as vantagens diminuição de seus impostos.
E isso será demonstrado na prática amanhã.

Amanhã galere!!!

Amanhã será o Dia do Jogo Justo, onde haverão as ações para promover o projeto.

Com o bem humorado slogan “Leve o jogo de graça você só vai pagar os impostos” haverá a venda de jogos à preço justo, pelas empresas parceiras. Walmart, Megalogame, Game Tech e UZ Games.
Mas fiquem atentos aos detalhes! O Walmart só realizará as vendas pela internet à partir das 9:00. As demais empresas, apenas em suas lojas físicas à partir das 10:00, com excessão das lojas da UZ Games em Salvador, Santa Efigênia, e Rio de Janeiro (Barra Shopping).
Dentre os jogos divulgados que estarão mais baratos serão Assassin’s Creed Brotherhood (PS3 e XBox), Castlevania: Lords of Shadow (idem) e Pro Evolution Soccer 2011 (PS3, Xbox e Wii), por R$ 99,90.

Mas pra não virar bagooonça cada consumidor poderá apenas comprar uma unidade de cada jogo.

O Walmart divulgou hoje sua lista completa dos jogos que serão vendidos sem os impostos.

Além disso, também haverá amanhã em algumas cidades um ciclo de palestras, debates, oficinas entre outras atividades muito interessantes sobre o comércio de games. Você pode conferir a agenda completa aqui.

Então, amigos gamers, essa é a hora de tirar a grana da carteira com alegria e começar essa fase.
Quem sabe a gente não consiga um “Achievement Unlocked?!

Quem escreve? Livia


Estudante de jornalismo, escritora amadora e tenta ser atriz nas horas vagas XD. Já praticou esportes super populares, tipo xadrez, rapel e kung fu. Quando realmente gosta de uma coisa não acha "legal", se apaixona completamente. Dentre essas paixões estão o RPG, mangas/animes, como Claymore e Berserk (embora admita que leia Naruto) Final Fantasy (é apaixonada pelos enredos e gráficos *-*) e o Garotas Geeks! Aye!

Categorias: Games, Manchetes, Novidades

comentário(s)

  1. Paloma disse:

    Mano causa q devia ser aprovada logo, afnal de contas tem vezes q fica mais barato compra os games no exterior do q aki [é].Ainda mais com todas essas outras causa q ficam inclusas, tipo filiais e tudo, seria um sucesso. Pena q infelizmente nosso país é oq é neh.

  2. Mariana Nobre disse:

    Pena que não tenha jogos para PC à venda nessa lista =/
    Mas tá valendo muuuito à pena pra quem for comprar, quem dera ficasse assim pra sempre os preços.

  3. [...] This post was mentioned on Twitter by Tamirys [Minhoca], Andressa Agnhesi, Luciano, Vinícius Brito, Lívia Daniela and others. Lívia Daniela said: Tirei até as minhas duvidas fazendo o post sobre #jogojusto no @garotasgeeks http://tinyurl.com/5wpeaxq Espero que tire tbm as suas. [...]

  4. David disse:

    Mais um belo post da Liv..

    Tomara que, seja logo, o movimento Jogo Justo realize a mudança na lei e diminua os imposto… é fato comprovado… falta apenas a iniciativa dos nossos representantes.

    abraços e mais uma vez, parabéns pelo post.

  5. Babs disse:

    steam é uma bença por causa disso! GLÓRIA A DEUSSteam

  6. robson disse:

    foda é que a walmart parece rir da cara do consumidor. tem jogo com diferença de 10 reais e outro com diferença de 180 sendo que em dolares a diferença é uns 8 dolares..

  7. Lívia Cabral disse:

    Seu post ficou muito bom, parabéns =D

    GAMERS UNGIDOS EM CRISTO!

  8. Isa C. disse:

    super concordo porém além de tudo temos um bando de crentes malucos que creem que games deixam as pessoas violentas.
    joguei CS até meus dedos caírem, RPGista ativa e nunca matei ngm, nem meus pais!

  9. Skilo disse:

    Não tem PS2 =/
    A geração atual começou em 2006 com o Wii né? Caraca melhor eu esperar a próxima, quando conseguir comprar um ja vai ta saindo linha =.=”

    Mas ta blz, os jogos de PS2 estão ficando “baratos” (pena q a diversidade de títulos q vendem agora é pouca) outro dia peguei GodHand por 19,90 na Saraiva \o/

  10. guilherme disse:

    nao é só jogos e consoles que tem um imposto absurdo, é TUDO. de celulares a roupas e cds tudo tem um imposto absurdo, o que é a causa de todo mundo comprar coisa fora e o brasil estar com a moeda baixa em relação aos eua

    ve se dá uma melhorada ae, dilma u.u

  11. mimimi disse:

    aí o espertão vai comprar o jogo pra jogar no windowze dele PIRATA. aham.

  12. Ivan disse:

    Muito bom o post Livia.
    Nao lembro ter te visto durante a palestra do Moacyr, no final ele deu um sobre jogo justo e outro sobre Game Design +/-

    Realmente espero que isso de certo, principalmente se as empresas vieram para o Brasil para desenvolver e não somente vender. Seria ótimo isso para trabalhar em desenvolvimento com eles, daí não teríamos de preocupar com mudar para Irvine (Cal), Londres ou Tokyo para trabalhar, não que isso seria chato xD

  13. Lukas Balzary disse:

    Se tivesse lançado Fable 3 pra PC ¬¬

  14. Isaque disse:

    Poxa, eu acompanho o movimento desde o início, em termos e creio que dessa vez vá funcionar. eu creio (yn)

    O porém de tudo é que o site do Walmart estava um pandemônio ontem. Não pude comprar nada D=

    Mas mesmo assim fico feliz por quem comprou. Espero que isso se torne uma realidade realmente e eu possa ficar que nem [s]trouxa[/s] bobo nas filas pra pegar aquele lançamento no primeiro dia.

  15. KiD disse:

    Cara, apaixonei pela Livia, do “sorriso aparente”

Comente este post