Como vocês sabem, eu sempre pergunto no meu twitter quais são os filmes que vocês querem ver aqui no Matinê. Geralmente, vocês curtem mais filmes da década de 80 e início da de 90, além de filmes de aventura. E um dos mais pedidos foi um que a Gaby me pediu também. E, como pedido de Garota Geek é uma ordem, com vocês, Sucker Punch, Mundo Surreal “Sucker Punch”, de Zack Snyder, 2011, EUA.

(O filme é tão novinho que o trailer é para os cinemas.. hihihihi)

Sweet dreams are made of this/ Who am I to disagree?/ Some of them want to use you/ Some of them want to get used by you…
Pense em uma pessoa azarada e multiplique esse azar por dez. Agora você tem uma leve ideia do que aconteceu à pobre Baby Doll (Emily Browning, “Desventuras em Série” de 2004 e “O Mistério das Duas Irmãs” de 2009). Quando sua mãe morreu, seu padrasto acreditou que iria ficar com todo o dinheiro dela, porém no testamento, a esposa deixava toda sua fortuna para suas duas filhas. Irado, ele agride Baby Doll e a tranca em seu quarto enquanto se dirige para o quarto da menor e a mata. Baby Doll chega tarde demais e o padrasto convence a polícia de que ela havia enlouquecido e matado sua irmã. No instituto psiquiátrico, o padrasto suborna o diretor para que ele faça uma lobotomia em Baby Doll para que ela nunca consiga sair de lá. Como eu disse, azar pouco é bobagem.

Where is my mind? Where is my mind?
Como ela não tinha outra saída, ela se refugia na própria mente. E é ai que o filme muda completamente. De um hospital psiquiátrico sujo e abandonado, vemos, na mente de Baby Doll, um cabaré, onde as meninas que moram com ela no hospital, são dançarinas escravizadas no cabaré do senhor Blue (Oscar Isaac, “Alexandria” de 2009 e “Rede de Mentiras” de 2008). Cada dançarina principal tem um número especial. E é quando Baby Doll precisa mostrar seu talento de dançarina que entramos mais uma vez (inception feelings) na mente dela e vemos um mundo imaginário fantástico, com samurais-robôs gigantes, segunda guerra mundial com nazistas zumbis de vapor, dragões e bombas poderosíssimas. E cada vez que Baby Doll dança, uma das meninas tenta por o plano de Baby em ação para tirá-las dali, pois em cinco dias ela irá sofrer uma lobotomia (técnica de cirurgia cerebral que consiste em cortar as ligações do lobos frontais com outras partes do cérebro o que causa um estado vegetativo no paciente, muito usado em séculos atrás no caso de esquizofrênicos). O filme poderia se dividir assim: a realidade, filmada como um lugar inóspito e cruel, o mundo imaginário com cores e cabaré, com visual de games e o mundo surreal de Baby Doll como um video clipe de CG e excelentes músicas com muita ação.

And if you complain once more/ you’ll meet an army of me
Zack Snyder é um dos diretores com a melhor estética visual no cinema atual. Basta lembrar de 300, por exemplo. Porém , ao contrário de 300 e Watchmen que são baseadas nas HQ’s respectivas, Sucker Punch é uma ideia feita especialmente para o cinema, ou seja, o diretor quis abusar de todas as técnicas para efeitos especiais que pudesse. Talvez esteja ai um erro de Snyder: ele abusa muito de slow motions, de computação gráfica, abusa tanto que do meio para o fim do filme acaba não surpreendendo o espectador, pois ele já está cansado de tantas cenas em slow. A maioria das cenas de ação no cinema é feita em slow para que a plateia possa ver com detalhes tudo que aconteceu em frações de segundo e se espante com tanta riqueza na imagem. Mas usar essa técnica repetidas vezes torna o filme cansativo (pelo menos para mim). O inception de um mundo dentro do outro funciona muito bem, principalmente pelos ambientes diferentes em que as histórias se passam. Interessante também é o uso de alguns objetos em todos os mundos, uma forma de manter o espectador ciente de que a história não está se perdendo e ainda segue uma sequência lógica.

A young fighter screaming/ With no time for doubt/With the pain and anger can’t see a way out
Um acerto é a trilha sonora. Todas as frases em itálico nesse texto são das músicas do filme. Muitas são cantadas pela Emily Browning e pelo Oscar Isaac, além de um mash up perfeito de I Want it All com We will rock you (duas músicas do Queen, para quem não sabe o que é rock ‘n roll… ¬¬). Sucker Punch é uma história sobre tiros, espadas samurais e lutas medievais com lindas garotas seminuas e com roupas fetichistas. Uma surpresa é ver Vanessa Hudgens atuando bem e Abbie Cornish, uma moça linda que lembra, e muito, a Nicole Kidman. É importante lembrar que os personagens são todos do ponto de vista de Baby Doll, uma menina muito estranha porque ela quase não fala (desconfie sempre de mulheres muito caladas e que não tenham celulite, fikdik), e que não convence muito nas cenas de luta – ela tem uma carinha de dó e não convence que ela te cortaria vivo pela metade como a Miho de Sin City, por exemplo. Como a grande maioria dos diretores atuais, Zack Snyder tem sua estética baseada em tudo que já foi lançado, criando um mosaico de referências a outros tipos de filme. A expectativa de como ele vai filmar Superman é grande, por não saber se ele vai fazer usar a sua marca ou fazer algo mais clichê. O final de Sucker Punch também é um pouco piegas (é aqui a parte onde meu bróder TedioDigital vai discordar de mim) filmes de ação não precisam de moral, apenas contos de fadas. Mas talvez Sucker Punch não seja apenas mais um filme de ação. É um filme para se divertir, comer uma pipoca e se encantar com todos os mundos que Baby Doll revela para você.

E tem mais Sucker Punch no post que a Lívia fez com a opinião dela, vale a pena ver!!

Mas, Deborah o que significa Sucker Punch em inglês? No Google Translator fala que é “idiota soco”…
Para os mais saidinhos, Sucker além de idiota, pode significar ‘chupador’, mas não é essa conotação, seus safados. Sucker Punch é uma expressão em inglês para “soco repentino”. Sabe quando dois caras estão no bar e o com cara de bonzinho e pacífico DO NADA vira e mete porrada no adversário? Esse golpe é um Sucker Punch. Os britânicos têm códigos de conduta para tudo, então, não é certo acertar um inimigo sem aviso. Seria um soco mal educado. Agora filosofem vocês sobre por quê esse é o título do filme ^^

Quem escreve? Deborah


25 anos, jornalista, não sei o que eu fazia para me divertir antes da internet. Heavy user de midias sociais. Amo/sou gifs do tumblr e o meme do Homem-Aranha.

comentário(s)

  1. Marina disse:

    Muito bom o post. Vi o filme no cinema e adorei. Só q pelo meu entendimento, o cabaré não é na mente dela, é real…ou eu entendi errado? Pq sei lá, oq eu entendi é que o cabaré é no sanatório e as únicas partes que são da mente dela, são quando ela vai dançar (e daí começa a lutar e tals)…
    Enfim, eu vou ver o filme de novo (director’s cut *-* mal posso esperar pra ver a cena de Your love is a drug…), pq isso me intrigou rsrs

  2. ghostalone disse:

    A cena do final é bem legal xD dpois dos creditos, assisti no cinema. Do cabaré, era imaginacao dela tb, pra criar um mundo onde tudo aquilo era mais suportavel, muito bom. É um dos filmes q eu mais gosto, tem tantas influencias q complica listar todas, mas uma das q mais me impressionou foram os soldados nazistas zumbis steampunk xD isso pq foi usado vapor em vez de sangue pra tentar deixar o filme mais ‘de boa’ pra classificacao etaria e pq eu adoro steampunk xD e pra terminar… muitos disseram q o filme é uma visao da Sweet Pea, e sei la, acho q concordo umpouco com isso, assisti o filme umas 4 vezes dpois de me falaram isso xD otimo texto Deborah *-* adorei as musicas em italico, a trilha sonora desse filme é dmais \o/

  3. Guilherme disse:

    Quero veeer. Me parece muito bom e sou fã de Emily Browning, já vi quase todos os filmes dela. E realmente me assustei quando vi Vanessa Hugdgens no trailer xDD
    Ótimo post Deborah, gostei bastante *u*

  4. @XMax_PayneX disse:

    esse filme é muito bom,PQP!

  5. Já assisti também esse filme e é muito bom mesmo, não só pelas beldades que aparecem XD Mas pela otima produção e história. Recomendadissimo mesmo.

  6. Bizzys disse:

    Assisti esse filme recentemente e não gostei muito. O visual é incrível, sim, mas com o tempo fica cansativo. E aquela reviravolta no final? Mais parecia que o Zack Snyder não sabia como terminar o filme e jogou qualquer coisa… Pelo menos, foi essa a impressão que eu tive.

  7. Vi no cinema e amei. Pra mim tem o mesmo “tchan” do Laranja Mecânica. Alguém mais vê relação ou eu que endoidei?

    E beijo pra Babs que andou andando pelo meu blog! \o

  8. Jefferson disse:

    Aguardei ansioso este filme desde que vi o primeiro trailer e fui acompanhando sempre que saía alguma novidade. Mas quando assisti, realmente senti que não atendeu a minha expectativa. Lógico que visualmente o filme é um espetáculo (além da trilha sonora, como já foi dito, ser um show a parte), mas não me convenci com a história. Um mundo imaginário dentro de um mundo imaginário não me soou convincente. E mesmo que para cada ação na mente da Baby Doll houvesse um reflexo no mundo real, não consegui ligar a sequência de ações com o que aconteceu realmente.

  9. Daniel Gomes disse:

    Pena que todo o filme seja uma fantasia e não algo mais “real”, como o foi Inception. O filme é bom, bem interessante e tem muita ação, mas o Slow-motion e como sabíamos quando ela entraria no mundo de fantasia, deixou o filme muito clichê, criando um clichê dentro de clichê.

    Bons filmes se resolvem dentro do filme e este, até parece, que Snyder resolveu o fim de última hora…

    Ele é bem assistivel, mas muito esquecível.

  10. Bru disse:

    Eu amei Sucker Punch. Fiquei esperando estrear nos cinemas daqui, e nada. Tive que me segurar até sair uma versão de boa qualidade pra baixar. D:
    Acho que não é um filme pra ser levado muito a sério, principalmente esse lado de moral. Já vi muita gente reclamado do roteiro, mas quando você se sente praticamente dentro de um jogo, com zumbis, samurais, robôs gigantes, dragões, visual steampunk e garotas que chutam bundas, acho que é preciso desligar o cérebro e parar de ficar procurando o sentido de tudo.
    É o tipo de filme que você tem que se deixar levar. :)

  11. Darkmaru disse:

    Muito loko XD

  12. Pietro disse:

    Adorei o post Deborah,realmente não é mais um filme de aç?o entre vários,é um filme para assistir sem compromisso e se maravilhar com os
    mundos que Baby Doll te apresenta.Assisti o filme,mesmo com a crítica caíndo em cima e AMEI,o filme não é apenas sobre gostosas chutando bundas,tem uma moral(mesmo sendo um tanto quanto clichê).

  13. “uma surpresa é ver Vanessa Hudgens atuando bem” ri alto

    muito bom o post, adorei esse filme quando o vi, além das músicas dele que são fuedas

    sucker punch =~ fisting IOHSRD978GR3HQEWIGWIFBADSUGBASLUFIBGQ7984G78WIBRGI

  14. Marcelo Beat disse:

    Era o filme que eu mais esperava esse ano (Snyder é FODA), mas não correspondeu às minhas expectativas, não a todas, pelo menos. Achei que faltou desenvolver melhor as outras personagens do cabaré/sanatório. Além disso, elas são tão fodonas que as missões se tornam baba. Resolvem tudo sem suar muito. Mas é um filme legal, sim. Vale a pena dar uma chance!

  15. Ana Virginia disse:

    Acabei de assistir. Mto legal, mto viajante, sem pé nem cabeça mas bem divertido!

  16. ana disse:

    Sucker Punch também é um golpe no Pokemon.

  17. DDR disse:

    pra mim esse filme é um legitimo filme sem história….
    a história é fraquissima, e abusa de efeitos especiais para compensar isso….
    pra quem não liga muito para trama eprefere assistira a explosões tiros e dragões colocados ali quase que por nada… vale a pena…
    caso contrario nem perca seu tempo….
    \

  18. Garotas Geeks disse:

    [...] o Zombie Lane.See Authors Posts (72) em 9 – julho – 2011 0 Comentários Semana passada, o Matinê foi sucesso absoluto! Aparentemente, escrever sobre o que vocês querem ler aumentam as [...]

  19. Qrolfashion disse:

    Cara, na minha insana e brisada + algumas leituras, eu tive a seguinte conclusão do enredo do filme:

    [SPOILER]

    - A persona principal é a Sweet Pea;
    - A história da Babydoll é secundária, sendo passada apenas no início do filme;
    - O filme quase inteiro é uma lembrança da Sweet Pea e a forma insana dela de enxergar o mundo, pois ela é doidenha;

    Meo, esse filme é phoda!!!! Estética impecável e a forma de se contar uma história muito insana! Adoray!!!

  20. Rebeca disse:

    Esse é o meu filme favorito. A trilha sonora é muito boa, sempre gostei dos filmes da Emily e apesar de eu concordar que o final é meio piegas, adimito chorei feito um bebê. Minha personagem preferida? Rocket. Pra mim um filme pra ser bom não basta apenas ter tecnologia, atores fantásticos ou qq coisa do genero. Sucker Punch é o meu preferido pois mostra bem o drama de Baby e seus mundos surreais.

  21. Roberta disse:

    Como o padrasto de Baby Doll mata a irmã dela, porque não mostra no filme… eu e minhas amigas queremos muito saber…

  22. […] cara de ação, tipo a Michelle Rodriguez e não uma com cara de pamonha. Claro que a Baby Doll do Sucker Punch também tem cara de songa monga, mas a ideia desse filme é que ela seja meio sonsa mesmo. Mas […]

Comente este post