A novidade foi anunciada hoje pelo New York Times e confirmada no site da Wizards of the Coast. O jogo está em andamento e a empresa já está com uma série de pretensões. “Queremos um jogo que se eleve acima das diferenças de estilo de jogo, configurações de campanhas e edições, que traga a essência fundamental de D&d para a frente do jogo. Em resumo, queremos um jogo simples ou complexo como você prefeir, com sua ação focada em combate, intriga e exploração, como você desejar. Queremos um jogo que seja inegavelmente D&d, mas um que possa facilmente se tornar seu D&d, o jogo que você queira jogar.” (Um 20 no dado quédize)

A última edição de D&d, a 4ª, foi lançada em 2008, e recebeu várias críticas por ser muito focada na mecânica e não na história, bebendo da fonte até se afogar, dos RPGs eletrônicos e MMOs.

O grande diferencial dessa nova edição é que a Wizards quer ouvir a opinião dos RPGistas. Liz Schuh, diretora da Wizards of the Coast, que detém os direitos de Dungeons and Dragons, disse na entrevista ao New York Times. “Queremos levar essa ideia dos jogadores elaborando essa experiência para o próximo nível e dizer: ‘Ajude-nos a moldar as regras. Ajude-nos a moldar como esse jogo será jogado.’

Mike Mearls, gerente sênior de Dungeons & Dragons e Liz Schuh, diretora de publicação e licenciamento para Dungeons & Dragons. (Foto: Joshua Bright para o The New York Times

Para atender ao apelo dela, você já pode se cadastrar para os playtests abertos que eles pretendem realizar, muito provavelmente nos EUA. No site também serão disponibilizados conjuntos de regras, classes, monstros e outros materiais para análise e feedback. Sem contar a própria comunidade de D&d da Wizards onde você pode dar pitaco à vontade.

Dungeons and Dragons foi criado em 1974 por Gary Gygax e Dave Arnesson, e foi primeiro RPG comercial a ser publicado. Estima-se que 20 milhões de pessoas têm jogado e gastaram US$ 1 bilhão em seus produtos. Porém, em 2005 houve um declínio das vendas por fatores como a competição contra os RPGs eletrônicos e a guerra de edições entre os fãs.

Será que a nova será uma retomada para o Dungeons and Dragons?

O jornalista da Forbes David Ewalt teve um sneak peak do jogo quando participou de um playtest para varejistas e repórteres promovido Dezembro pela Wizard of the Coast em Washington, mestrada pelo próprio Mike Mearls, um dos principais responsáveis pelo D&D atualmente. Segundo ele a Wizards está no caminho certo e as regras são promissoras. “Elas são simples sem serems estúpidas e eficientes sem serem superficiais”
David também reforça: “Acima de tudo, se parece com D&d, não com um video-game, MMO ou card game.

Sua reportagem também trás uma declaração muito interessante do Mike Mearls a respeito disso. “D&D é como o gruarda-roupa onde as pessoas vão para Narnia. Se você encontrar um McDonalds lá é como se — ‘Isso não é Narnia.’”

Os dados estão lançados. Agora é torcer e contribuir para que não seja uma falha crítica.

Quem escreve? Livia


Estudante de jornalismo, escritora amadora e tenta ser atriz nas horas vagas XD. Já praticou esportes super populares, tipo xadrez, rapel e kung fu. Quando realmente gosta de uma coisa não acha "legal", se apaixona completamente. Dentre essas paixões estão o RPG, mangas/animes, como Claymore e Berserk (embora admita que leia Naruto) Final Fantasy (é apaixonada pelos enredos e gráficos *-*) e o Garotas Geeks! Aye!

Categorias: Games, Manchetes, RPG

comentário(s)

  1. Daniel Bicalho disse:

    Mal comecei a jogar a 4 edição. Tomara que melhore certos aspectos da jogabilidade e da mecânica do jogo.

  2. Nerd Knight disse:

    nunca joguei d&d (só gurps)mais pelos feedbacks que recebi parece legal mais ainda to um pouco receioso em fazer uma migrar de sistema.
    vou vasculhar a “demo” no site pra ver se me intereço.

  3. kathe disse:

    ahhhh espero que melhore….pq ultimamente tenho jogado D&D 3.Pi uahuahuahuahauhhauh juntamos um pouco de cada e voilá….=) jogo perfeito.

  4. Yuri Dittrich disse:

    Irado!!!

    Porque o 3.5 pelamor né

  5. Fabio Melo disse:

    Olha, ainda é meio cedo para chamar de quinta edição. Pelo menos não é assim que estão chamando lá fora.
    Eu achei interessante. D&D 4ª edição é ótimo como produto, mas pouco atraente hoje como jogo. Não é um rpg fácil de começar a jogar ou calcular como as coisas funcionam. Mestrei uma sessão com o core básico + livro do jogador 2 e o primeiro combate demorou metade da sessão. Eu ainda duvido que hoje o D&D seja atraente como jogo se não enxugar um pouco as regras de construção, sem aqueles trocentos poderes. Talvez algo mais próximo do Essencials ou dos livros como o Heroes of Shadows ou o Heroes of Fallen Lands. E talvez colocar menos raças e menos classe repetida, como Bruxo e Mago, que na prática fazem quase a mesma coisa. Dar um core mais básico e não como uma colcha grande de retalhos. E sem contar que, por favor, um combate mais veloz.

    • Lívia disse:

      Sim, é cedo, de fato, mas é o que tudo indica, na minha opinião. Penso que um dos principais fatores que levaram a Wizards a fazer uma nova edição tão cedo foi justamente o fracasso da 4ª.
      Depois, com a concorrência que surgiu e aumentou em anos de RPG acho que já tava mais do que na hora da Wizards repensar o D&d e ouvir quem joga.

  6. Jeferson Cardoso P. Lança disse:

    Pelo cajado de Mordenkainen!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Minhas preces foram ouvidas!!!!!!!!!!!!!!!

    Senhores, a mácula da 4ªed está no seu lugar de direito, o mais profundo bolsão do Abismo(ao lado do Hitler e Kahdafi)

    Não sei se deu pra perceber, mas eu não admiro a 4ª ed.

    A novidade muito me alegra e pelo que os idealizadores falaram vai voltar a realmente ser D&D.

    Uma nova era se aproxima e espero que seja a ERA DA FÊNIX

  7. Darkmaru disse:

    JÁÁÁÁÁ????!!!!!! XD

  8. Algus Helm disse:

    Quando pude ler a 4ª ed senti que estava lendo o manual de um jogo… Fiquei no 3,5 mesmo.

    Espero que a 5ª Edição seja REALMENTE boa para desbancar a 3,5

  9. Max disse:

    Que bom que vai ter uma nova edição, pois o D&D 4 deixou a desejar na minha opinião. Prefiro a terceira edição.

  10. Jeniel veiga disse:

    kd o AD&D? ……….kkkkk

  11. Rafael disse:

    Jogava 3.0, depois 3.5, e depois 4.0 por pouco tempo, e essa última foi uma droga. Prefiro muito mais as versões anteriores. Jogo AD&D mas não jogo 4.0.

  12. Leo disse:

    Huhuhuhhahahahahaha Morte à Wizards of the Coast!
    Fui mestre de AD&D de 1995 até lançarem a edição 3.5…já tinha achado um puta golpe editorial quando lançaram uma edição em um espaço minimo da outra…depois veio a quarta edição e os caras confirmaram q eram uns sacanas!
    Fora que transformaram o jogo em um sistema cretino que apaga completamente o Role Play….hoje eu sou mestre de Pathfinder que mesmo que ainda use d20 system resgata completamente as origens da segund edição…mais uma vez eu digo, morte à Wizards of the Coast!

    • Christopher disse:

      Eu concordo com o cara aqui de cima, a Wizards não está se importando nem um pouco com a qualidade dos jogos ou com suas origens, o que interessa mesmo é o forte apelo ao capitalismo e o dinheiro entrando no bolso deles. Eu acompanhei um pouco do AD&D, joguei a 3.5 e hoje tento jogar a 4.0. Além de ter reajustado completamente o sistema e ter utilizado algumas boas práticas de mestre/jogador é bastante claro o objetivo da Wizards, criar um produto altamente comercializável e só. Dói quando nós, fãs desse jogo tão incrível que é o RPG, vemos coisas assim acontecer. Por isso eu estou escrevendo o meu próprio livro e jogo, aconselho aos amigos que façam o mesmo, pois a tendência é piorar.

  13. Omninerd disse:

    Nunca joguei D&D, mas me familiarizei com o sistema D20 através do RPG brasileiro “Tormenta RPG”, além de ter jogado umas duas partidas de AD&D.

    O que eu vi é que o Tormenta RPG fez algo que eu achei muito bom: Resumiu as trocentas perícias em grupos, fazendo com que perícias mais inúteis, como usar corda, se juntassem a outras úteis (como é o caso de usar corda que foi parar em atletismo ou ladinagem, se não me engano).

    Além disso eles fizeram em Tormenta RPG com que as raças ganhassem mais bônus em características, criando realmente um grande diferencial entre você ser um elfo ou um anão.

    Tormenta RPG na minha opinião (de quem nunca jogou D&D) simplificou aquelas fichas malucas cheias de números, letras e coisas para preencher que um jogador de 3D&T não estava acostumado, fazendo com que a transição do sistema fosse feita de uma maneira melhor, ainda embalada pelo cenário já conhecido.

    O que eu espero nessa nova edição é que eu possa olhar uma ficha de D&D e possa dizer “Não parece ser tão complicado. Vamos jogar isso aqui”.

  14. Dracos disse:

    Caramba quanta reclamaçao sobre as regras, mano eu acho q tem q ser complexo, pq? Pra ser o mais proximo da realidade. Soluçao, escolher um, colocar um chapeu legal nele, chamar-lo de mestre e obrigalo a entender todo o sistema para depois diponibilise sessoes para os jogadores, de forma q para eles seja simple e divertida, mas que tenha todo um esqueleto por traz sustentado por regras que seria controlado pelo mestre. É eu acho q ser mestre é para poucos. Mas voltando ao post, nao tenho jogado muito D&D, meio pq minha disponibilidade anda bem bagunçada, e tbm pq mestres de D&D atual ta dificil achar que preste, conheço alguns mas geralmente mestram em horarios em que eu nao estou disponivel. O que me fez migrar para sistemas mais ligados ao estilo Storytelling, por ser um modelo que da mais valor à interpretação do que so fikr a sessao inteira lutando com monstros pra upar de lvl. Se fosse so pra matar monstros eu jogava MMO! Mas estamos ai, esperando a suposta nova edição, veremos se os caras da Wizard dessa vez, conseguem superar o legado das antigas edições. O que eu acho muito dificil, como pode se prever, so irao deixar o sistema mais “fácil”, parecendo MMO, pra ser mais específico. Pq eles acham que assim vai vender mais. Quando sabemos q uma das tragedias da 4Ed foi o fato dos mestre que se presam, terem recusado o sistema e se agarrado aos sistemas anteriores, AD&D e D&D3.5 e tbm os MMO’s, é mas estes nao lamentem a maioria so queriam ser overpowers e terem gráficos magníficos. Nao sendo contra MMO’s, afinal eles sao otimos para passar o tempo livre, quando nao se tem nada pra fazer.

  15. gabriel disse:

    po agr sim, achei a 4 horrorivel , continuo jogando a 3.5 , espero que a 5 seja descente =P

  16. Lucas disse:

    eh tenso, a 4.0 veio por ser um barco furado, compramos a pré-order diretamente do site da wizards e foi a maior decepção para o meu grupo…
    atualmente jogamos um sistema D20 da Paizo chamado Pathfinder que no meu ponto de vista concertou inúmeros problemas da 3.5 e nao é o “MMO” que se tornou a 4.0 :D

Comente este post